Terça-feira, 31 de Julho de 2007

Quase todos senão mesmo todos os sobradenses já tiveram de fazer alguma visita ao Hospital S. João no Porto. A estória que hoje conto, narra a técnica de uma sobradense para agilizar o atendimento hospitalar.

Sentada na sala de espera do hospital, a sobradense desesperava por ouvir o seu nome.

Foi colmatando o desespero conversando com uma outra conterrânea, na ânsia que dessa forma a espera se abreviasse. Nada feito, as horas foram-se somando umas às outras e nada de serem chamadas. A primeira toma então uma atitude, levanta-se e diz para a outra, queres ver como vou entrar já? De uma assentada, despenteia-se, revira os olhos, começa a ofegar e em altos berros " ai meus Deus ai, ai ai que eu não sei que tenho, ai que eu morro, ai meu Deus, quem me acode!? Resultado, entra imediatamente e é atendida. Ao sair e ao ver a colega de espera ainda no mesmo sítio atira-lhe um sorriso e diz " Estás a ver eu já vou, fazias como eu..."

 


sinto-me: mal
música: as das salas de espera

publicado por estoriasdaminhaterra às 16:19
O blogue estoriasdaminhaterra recolhe estórias da tradição oral sobradense bem como factos da vida comum de uma pequena vila dos arredores do Porto...
Julho 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
11
14

15
16
19
21

22
23
25
28

29
30


pesquisar neste blog
 
blogs SAPO