Terça-feira, 27 de Novembro de 2007

Há uma música que povoa as minhas memórias de infância, é uma coisa assim sem tom nem som mas que nunca consegui esquecer. Começava com uma voz entre o esganiçado e o rouco e tinha uma letra bastante elucidativa.

 

Ia por aí abaixo

Um carro aos trambolhões

Uma carroça sem rodas

e um cavalo sem travões

Ai txic txic txic txic

 

( ler num registo tipo M á rio Viegas)

 

Como vêm uma pérola da música portuguesa e que só no fim de semana passado, enquanto em família se divagava sobre músicas da nossa vida ( esta era a música que eu nunca escolheria para a minha música) descobri onde passava este best off musical dos longínquos anos 80. Passava na rádio Sobrado e era uma de entre muitas outras músicas do género.

Desconhecia até então que Sobrado já teve rádio, e pelos vistos era uma rádio e tanto, pois contribuiu vivamente para a expansão da música portuguesa e do anedotário sobradense . Conta quem ouvia que não raras vezes, os locutores num claro espírito de abertura e partilha à comunidade local, partilhavam segredos das suas vidas pessoais, facto que ocorria sempre que se esqueciam de desligar o microfone e transmitiam assim,em sinal aberto as suas ânsias e frustrações face à vida. Uma das situações relatadas dizia respeito ao casamento de um dos locutores e começava da seguinte forma:

 

Seguimos agora para mais um momento musical ( ler com a voz radiofónica)...

Ainda no ar mas falando como se não estivessem.

- Então fulano quando é que te casas?

- Eu ( pausa ocupada com palavrões ao gosto do leitor) era o que me faltava casar com essas ( palavrão novamente ao cuidado do leitor) eu tenho mais que fazer da minha vida do que aturar essas ( novamente o dito palavrão, esse mesmo que o leitor está a pensar).

E a conversa continuava animadamente até um dos interlocutores se aperceber da gafe e emendar com uma composta frase do género:

- ehnnn pedimos desculpas aos nossos oubintes plo incedendente de à bocado.

 

E o mais curioso é que em pesquisas na internet sobre este fenómeno ( Rádio Sobrado) descubro que estas emissões motivaram uns jovens para fazer rádio, e mais estranho ainda foi a génese ( por assim dizer) de uma rádio do Porto. E esta hein?

Apetece-me mesmo dizer, há coisas fantásticas não há !?


sinto-me: musicalmente inspirada
música: Ia por aí abaixo

publicado por estoriasdaminhaterra às 16:45
Ui, se há...e Sobrado parece açambarcar praí metade das do resto do país!! LOL
daplanicie a 28 de Novembro de 2007 às 20:57

Metade que é para não dizer 3/4 eheheheh

O blogue estoriasdaminhaterra recolhe estórias da tradição oral sobradense bem como factos da vida comum de uma pequena vila dos arredores do Porto...
Novembro 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
16
17

18
20
21
22
23
24

25
26
28
29
30


pesquisar neste blog
 
blogs SAPO