Terça-feira, 22 de Maio de 2007

As reuniões familiares sempre são boas fontes de recurso " estórico". Descobrem-se muitas coisas, inclusive que a igreja matriz, num dia mais ou menos longínquo, abanou. 

Era costume, segundo se conta, rezar-se o terço ao domingo à tarde na igreja. Eram terços demorados e penosos para quem tinha ainda menos de dez anos, e o sol e as brincadeiras chamavam com uma voz incessante,voz, que normalmente só sentimos na infância.

A única coisa boa do terço de Domingo era, o tempo antes do terço. Em que as crianças corriam á volta da igreja ( no adro), dando assim asas às suas brincadeiras.

Ora numa dessas brincadeiras a coisa deu para o torto, uma das crianças tropeçou e bateu com a cabeça na esquina da igreja, fazendo um golpe na testa. Apesar de ensanguentar todos os lenços dos fieís , assistiu com especial devoção ao terço. Só ao chegar a casa foi, de bicicleta com o pai ao hospital de Valongo.

Mas o que tornaria a estória peculiar foram os comentários posteriores de um dos fieis, ao pai da criança.

- Oh fulano a tua Ana Maria deu cá um tombo na igreja, que eu estava lá dentro e até senti a igreja a abanar, abanou mesmo...

Consta-se que nunca mais abanou daquela forma a igreja de Sobrado.



publicado por estoriasdaminhaterra às 11:00
LOLOL Se calhar foi daí que nasceu o epíteto de "cabeça dura" !!
daplanicie a 22 de Maio de 2007 às 13:37

Eheheheh não tenho grandes dúvidas quanto a isso...

O blogue estoriasdaminhaterra recolhe estórias da tradição oral sobradense bem como factos da vida comum de uma pequena vila dos arredores do Porto...
Maio 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
12

13
19

20
26

27


pesquisar neste blog
 
blogs SAPO