Segunda-feira, 02 de Julho de 2007

Regressei às estórias habituais, deixo o S. João uns meses de parte para voltar a escrever sobre acontecimentos " banais" da terra.

Rebuscando no meu baú das "estórias da minha terra" lá encontrei outra digna do titulo de " pérola sobradense", mais uma vez, uma personagem recorrente nestas lides, o grande Serafim do bairro.

Mas passemos á estória sem mais demoras que o tempo urge e as batatas crescem.

Estando o Serafim sentado à sombra de uma videira e a observar um pequeno batatal que havia plantado no quintal de casa, começa a ver um movimento estranho no batatal. Aparentemente uma toupeira lavrava a terra. De rompante levanta-se e procura uma sachola para " tirar a tosse" a tão aplicada trabalhadora. Chegado ao local, dá com a sachola em cheio no sitio onde a terra levantava, mas qual é o seu espanto ao não ver a toupeira mas sim uma bonita batata. O que era o que não era, eram as batatas a crescer no quintal que até levantavam a terra, fazendo o mais incautos observadores pensarem que se tratava de uma toupeira a lavrar...


sinto-me: Agricultora

publicado por estoriasdaminhaterra às 11:58
Safa!! Gostava de saber a marca do adubo que ele usava! :-)
daplanicie a 3 de Julho de 2007 às 12:08

De
  (moderado)
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Este Blog tem comentários moderados

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



O blogue estoriasdaminhaterra recolhe estórias da tradição oral sobradense bem como factos da vida comum de uma pequena vila dos arredores do Porto...
Julho 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
11
14

15
16
19
21

22
23
25
28

29
30


pesquisar neste blog
 
subscrever feeds
blogs SAPO