Sexta-feira, 20 de Julho de 2007

As estoriasdaminhaterra têm estado em falta com um tema que normalmente é fruto de muitas histórias nas terras, os padres. Nesse sentido, e na tentativa de colmatar essa lacuna, cá fica uma, de um padre que exerceu votos em Sobrado há mais de cinquenta anos.

Tinha fama de repentino, o padre Barbosa, nunca deixava créditos por mãos alheias e creio que foi isso que levou o senhor abade a tomar medida tão estrema com um sobradense .

Era verão e as criadas do padre andavam a lavar roupa num rego de água. Nada de mais, não aparecesse um lavrador que entendeu que as moças lhe estavam a desperdiçar a água. As raparigas, regressaram à casa paroquial e queixaram-se ao abade. O padre Barbosa não tem mais, vai de encontro ao invejoso sobradense , rego da água acima. Quando o encontrou, agarra-lhe o cachaço e "espeta-lhe" a cabeça no rego da água.

Glugluglu , ai sr . abade, glugluglu , dizia o sobradense .

De nada lhe adiantou, porque a penitência do Sr. abade Barbosa estava cumprida para quem ousasse cruzar o seu caminho ( troçada na certa).

Talvez fosse por essas e por outras que certa noite lhe puseram à porta de casa a "faca e alguidar". Só não se sabe se chegou a entender o aviso..



publicado por estoriasdaminhaterra às 20:11
Esse padre era digno de pertencer à organização italiana cujo lema era "cá se fazem cá se pagam". LOL
daplanicie a 24 de Julho de 2007 às 10:03

Como se diz na terra era " teso"... eheheh

O blogue estoriasdaminhaterra recolhe estórias da tradição oral sobradense bem como factos da vida comum de uma pequena vila dos arredores do Porto...
Julho 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
11
14

15
16
19
21

22
23
25
28

29
30


pesquisar neste blog
 
blogs SAPO