Quinta-feira, 23 de Agosto de 2007

O Sr. Neto era, e é uma personagem caricata. Tinha um reportório de estórias e anedotas que parecia inesgotável, e onde estivesse não havia tristeza. Costumava contar uma estória a respeito do latim na missa que me deliciava quando era criança.

Como sabem, não há muito tempo que as missas ainda eram rezadas em latim, sendo que, como devem imaginar o comum da populaça limitava-se a seguir o latinório do senhor abade sem perceber um chavo.

O Sr. Neto contava uma ladainha que pode muito bem ser uma interpretação " ad hoc" do latinório missal, rezado por dois padres ( ou um padre e o sacristão),  com colocação de voz  a título de cantarol. Aqui vai.

 

E réu catrapéu e quem morreu vai para o céu ( um dos padres)

irá ou não irá cinco mil reis  para cá ( o outro retorna)

Seja pobre ou seja rico sem o meu é que eu não fico ( o primeiro padre)...

 

 


sinto-me: oremos

publicado por estoriasdaminhaterra às 16:58
Quem sabe se não era mesmo isso que eles diziam...lol
Beijinhos
daplanicie a 27 de Agosto de 2007 às 12:23

Eeheheh o povo de sobrado é muito imaginativo, mas quem sabe...

O blogue estoriasdaminhaterra recolhe estórias da tradição oral sobradense bem como factos da vida comum de uma pequena vila dos arredores do Porto...
Agosto 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
11

12
14
15
16
17
18

19
20
21
22
25

26
30
31


pesquisar neste blog
 
blogs SAPO