Sexta-feira, 11 de Janeiro de 2008

Nem só de estórias se fazem as gentes de Sobrado, há dias entre os papeis amontoados na minha secretária encontrei uma folha com algumas quadras, o título aparecia sublinhado e a letra era bem desenhada. Os erros ortográficos e o punho tremido de quem o escreveu não lhe tiraram a beleza, pelo contrário acrescentaram autenticidade.

As quadras que se seguem são escritas por um sobradense de 80 anos, que apenas andou sete meses na escola, mas que não se deixou vencer pelo precoce cortar de asas, aprendeu a ler e a escrever por sua conta e como o próprio diz " bem ou mal lá vou fazendo os meus gatafunhos!".

 

As quatro estações

 

As quatro estações do ano

Quando começam a aparecer

começa-se a semear

para mais tarde colher

 

Entramos na primavera

a juventude do ano

dêmos passos bem firmes

e não passos de engano

 

Nesta quadra do ano

começa-se a semear

mas até à colheita

muito temos de esperar

 

Entramos noutra quadra

pois entramos no verão

tempo de muito calor

é o mês do s. joão

 

As sementeiras estão feitas

tudo está a crescer

com o passar do tempo

Tudo vai amadurecer

 

Quando vier o setembro

vemos o verão terminar

tempo de sol tão quente

que custa aguentar

 

Entramos em Setembro

tempo das colheitas

chegando a S. Miguel

ficam todas feitas

 

Caminhamos para outra quadra

é o Outono que aí vem

até a idade da nossa vida

não perdoa a ninguém

 

O Outono entrega ao Inverno

O Inverno tudo aceita

O Outono contente

por ter tido uma boa colheita

 

O Inverno coitado

O que há-de fazer

Nem semeia em colhe

Como há-de colher

 

No Inverno, tempo de frio

Não semeia nem colhe

 fica tudo vazio

 

Não me quero alongar

Dou esta por terminado

a toda esta gente

eu digo, muito obrigado

 

António Pinto

 



publicado por estoriasdaminhaterra às 12:21
Parabéns ao simpático homem maduro que escreveu esta poesia e,que tive a honra de conhecer. Sim, conhecer estas pessoas maduras é um privilégio! Quanto saber!
Um abraço para o Sr. António e, 1 beijo para si.
Raquel Alves a 13 de Janeiro de 2008 às 00:08

O Sr. António ficou todo contente com a surpresa ( de eu lhe publicar os versos no nosso blogue da intranec ( como ele diz) e ainda mais pelo comentário que lhe deixou, dos dois o nosso muito obrigada.

Pensava que tinha deixado uma mensagem, quando li o post mas...estranho! não estava cá nada. Queria dar os Parabéns ao Sr. António pela bonita poesia, pela força de aprender e, de viver. Grande abraço para ele e, beijo para quem valoriza estes saberes.
Raquel Alves a 15 de Janeiro de 2008 às 19:39

Adoro poesia popular! E este poeta está de parabéns pelos seus versos simples mas de muita beleza.
daplanicie a 23 de Janeiro de 2008 às 17:27

O blogue estoriasdaminhaterra recolhe estórias da tradição oral sobradense bem como factos da vida comum de uma pequena vila dos arredores do Porto...
Janeiro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
12

13
14
15
16
17
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


pesquisar neste blog
 
blogs SAPO