Segunda-feira, 29 de Dezembro de 2008

Se tivesse de fazer um guia gastronómico dos pratos e doces típicos de Sobrado, não podia, sem dúvida deixar de fora as sopas secas. Um doce parecido com os famosos formigos ( embora com menos ingredientes) e bastante apreciado  nesta freguesia.

Tempos houve, em que os doces natalícios sobradenses praticamente se resumiam a um alguidar de sopas secas e uma travessa de aletria, sendo isto considerado um lauto banquete. Mas, já lá diz o ditado, " mudam-se os tempos mudam-se as vontades", e as sopas secas têm vindo  perder adeptos em detrimento do pudim, do bolo rei e das rabanadas. Portanto, acho que será a hora de lançar um apelo aos leitores para salvarmos as sopas secas e lhes darmos um novo vigor e uma nova vida nas nossas mesas natalícias, sob pena de, se não o fizermos, corrermos sérios riscos de perdermos estórias como a que se segue.

 

Era véspera de Natal e na aldeia de Ferreira sentia-se um forte odor a canela e açúcar no ar. Era quase impossível não sentir o doce apelo de um dourado alguidar de sopas secas acabadinhas de sair do forno. A fome era muita e a vontade de adoçar o bico ainda maior. Havia uma oportunidade e havia um motivo, mais uma vez o velho ditado fazia todo o sentido " A ocasião faz o ladrão"!, e afinal o alguidar até era de uma família abastada, não deveria fazer grande diferença um alguidar de sopas secas. O certo é que fez. E ainda mais porque o descarado ladrão, depois de " encher as bentas" com um alguidar inteiro de sopas secas ainda o deixou vazio, de cú para o ar em cima de um esteio perto da casa dos lavradores em sinal de afronta!

 

Esta estória, que aconteceu em casa do Moutas de Ferreira, deixa-me uma certa nostalgia...Que bom que era quando os ladrões só roubavam alguidares de sopas secas e ainda se davam ao cuidado de deixar os despojos do roubo em local onde facilmente seriam encontrados, minimizando assim as perdas. Mas nostalgias á parte, e para fechar com chave de ouro este post fica a famosa receita das sopas secas para quem quiser fazer cumprir a tradição, e preparar um delicioso alguidar de sopas secas para a ceia da passagem de ano.

Ingredientes:

 

Pão velho q.b.

Açucar loiro

Canela em pó

Água

1 Alguidar de barro

 

Modo de preparação:

 

Num tacho coloque água, canela e açúcar q.b. e deixe ferver. Enquanto a água levanta fervura, parta o pão ás fatiase coloque o alguidar a jeito.

Assim que a água levantar fervura, começe a demolhar as fatias de pão e a coloca-lo no alguidar, por cada camada colocada pulvilhe abundantemente com açucar e canela, repetindo sempre até o alguidar estar cheio. Posto isto, levo o alguidar ao forno até o pão ficar dourado na parte de cima do alguidar.

 

Sugestão:

Acompanhe o prato de sopas secas com um cálice de vinho do porto ou ginja.



publicado por estoriasdaminhaterra às 12:15
De
  (moderado)
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Este Blog tem comentários moderados

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



O blogue estoriasdaminhaterra recolhe estórias da tradição oral sobradense bem como factos da vida comum de uma pequena vila dos arredores do Porto...
Dezembro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

22
23
24
25
26
27

28
30
31


pesquisar neste blog
 
subscrever feeds
blogs SAPO