Sexta-feira, 22 de Janeiro de 2010

Que Sobrado é rico em interpretações linguísticas muito características não é novidade para ninguém. É por isso que cada vez mais penso se quando os meus alunos dizem " buber" ou " botar" em vez de " beber" e "deitar" ou "colocar" em vez de os emendar não os  devo incentivar para que o nosso dialecto não morra tão precocemente. Quem sabe se daqui a umas décadas ou a uns séculos não veríamos as nossas típicas expressões transformadas num " mirandês" á sobradense. Estranha mania a nossa de corrigir e criticar pronuncias que nos distinguem dos outros.

 

 

 

Enfim e tudo isto para dizer que esta semana descobri mais uma das nossas pérolas linguísticas. Queixando-se um sobradense que havia cumprimentado o amigo sem que este o tivesse visto, responde-lhe o outro que não levasse a mal pois afinal só conseguia ver vurtos, e que quando o amigo o cumprimentou só viu um vurto com a mão no ar ...

O cómico da situação leva-me a pensar quantos mais vurtos ainda veremos e ouviremos daquilo que um dia foi " falar á sobrado"...

 

Deixo a   lista das minhas pérolas preferidas e o apelo aos leitores de acrescentarem mais algumas que se lembrem ou que usem...

 

auga - água

rigelos - rojões

bubere - beber

bichicoda - laço

manhão - manhã

botar- deitar, colocar algo

baleta - beira da estrada ou caminho

çabola - cebola

coives - couves

celoiras - ceroulas

tchuva - chuva

comixão - comissão

lapes - lápis

quantal - quando tal

aito - oito

abroba - abóbora

entruido - Entrudo

(...)


sinto-me: mov. salvem a nossa pronuncia
música: pronucia do norte

publicado por estoriasdaminhaterra às 15:15
Dicionário Sobradês

Como sobradence de gema, apesar de imigrado, tudo o que diga respeito à minha terra tem uma enorme importância (obviamente para mim). Posso confessar que vivo apaixonado por Sobrado e acho que é um amor correspondido, porque grande parte da minha família ainda lá vive e por muitos outros motivos de que destacarei o "nosso S. João". Reparem que não disse "bugiadas ou mouriscadas", porque para nós falar do S. João não é resumi-lo apenas ao dia 24 de Junho. Pensar no S. João ou ouvir o "nosso hino", tocado pela Banda de S. Martinho... até arrepia só de pensar.
Contudo, hoje ao ler o texto que estou a comentar quis, pela primeira vez, participar nestas "modernices" de blogs e sites.
Já por diversas vezes pensei em criar uma espécie de dicionário: Sobradês/Português. Sinceramente é mais um dos motivos de orgulho ouvir alguém, sobretudo os mais idosos ou menos letrados a falar à Sobrado. Tenho pena que, grande parte das pessoas, fiquem envergonhadas com o facto dos filhos, os pais ou amigos estarem a falar da maneira que sabem (à Sobrado) perante estranhos. Não considero que seja sinónimo de parolice. Eu próprio tive dificuldades em adaptar o meu dialecto quando andei na escola primária. Penso que essa dificuldade foi comum a quase todos. Ainda agora os meus filhos me chamam à atenção pela minha pronúncia. Hoje sobretudo a televisão massifica toda a gente e esta malta mais nova já não fala sobradês mas, em contrapartida falam português abrasileirado (influência de telenovelas) e muitos termos em inglês "língua universal" nomeadamente na linguagem informática. Aquilo que vai acontecer ao sobradês, mais tarde ou mais cedo vai acontecer com o português: Não vai passar de um dialecto falado por meia dúzia de velhotes algures numa aldeia recôndita do país a que ainda chamamos Portugal. De resto todos os outros falarão inglês.
Sou a favor da cultura e dos valores positivos e por isso vou ter saudades da minha mãe, que fala correctamente o sobradês e tenho pena que os meus filhos desdenhem esta "cultura".
Vou então tentar contribuir com mais alguns termos de que me lembro. Para começar convém salvaguardar desde já que todas as palavras que tenham a letra"x ou ch" se pronunciam "tch". Isto dá logo uma catrefada delas. Outra característica de sobrado, mas comum à zona do Porto, é os "v" e "b" que se pronunciam sempre como "bês".
Acho que um dos termos referidos "bichicoda", o significado mais comum é para identificar uma "leituga", erva relativamente baixa que se apanhava (capava) para o gado, sobretudo para os coelhos. Aliás, a pronúncia correcta seria "bitchidôdia".
Munho - Moinho
E adei - E portanto
Calitro . Eucalipto
Inchinho - Ancinho
Pói - Pai
Móinh - Mãe
Por hoje vou terminar. Até breve.

Tchico (2010/07/22)
Anónimo a 22 de Julho de 2010 às 22:29

Caro Tchico,
Aproveito antes de mais para pedir desculpas pela atrasada demora na resposta a este tão interessante comentário e agradecer-lhe a partilha que fez. Espero ansiosamente mais palavras ou estórias do nosso sobradense.

Atentamente,
Fábia Pinto

O blogue estoriasdaminhaterra recolhe estórias da tradição oral sobradense bem como factos da vida comum de uma pequena vila dos arredores do Porto...
Janeiro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
23

24
25
26
27
28
29
30

31


pesquisar neste blog
 
blogs SAPO